segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Possuído pelo meu eu ressuscitado do Inferno

Houve um tempo de paz... Sim, ele existiu... E, nesse tempo, pensei que a presença dos anjos pudesse ser uma agradável comunicação, uma ajuda aos desavisados e desamparados... Em meio aos demônios eu os conheci, os reconheci e os amei enquanto salvadores de nossa reles discórdia.

Mas, como tudo nessa existência, este episódio também chegou ao seu fim. O conflito entre extremos sempre foi claro, mas a vontade de permanecer assim nos era forte demais para dizer algo. Anjos na escuridão, merecíamos todos uma chance. Mas não, não é assim que a vida e a morte funcionam...

Quando o tempo se fez necessário para o teste final, os anjos mostraram estar de passagem, e se foram para os céus, passando pela névoa obscura com suas asas ainda funcionais, a qual ainda não podíamos vencer...

''Mas os demônios não me abandonam... Me perseguem, me querem, me condenam... E eu quero que os demônios dominem-me e dominem o mundo... Quero ser a representação dos mesmos, se a luz deixar de ser acessível aos meus olhos...''

Agora, esta é a minha maior vontade...

2 comentários:

  1. The angels are always in your heart to the much the mind is pure hatred, you will always be a lost angel.
    ~~
    ;;
    ::

    ResponderExcluir
  2. Long lost to where no pathway goes...

    ResponderExcluir